Abertura Paralela 2010 // A Contemplação do Mundo – Fotos

Arnaldo Antunes

Ontem, dia 22, quarta-feira, aconteceu a abertura da Paralela 2010//A Contemplação do Mundo. O vernissage contou com a presença desde ícones populares a importantes donos de galerias de diversas partes do mundo.

Obras como o piano que chora (“Estudo nº1”, Laura Vinci, 2010) e o manifesto à liberdade (“Atrás da liberdade”, Rosana Ricalde, 2010) captaram o olhar dos convidados, mas o grande destaque da noite ficou para duas obras que tentam se aproximar da realidade das ruas: o “barraco” (“Puxadinho”, Lucas Bambozzi, 2010), cujas portas e janelas tentam ser abertas freneticamente, causando uma sensação desesperadora; e a performance de dois artistas interpretando moradores de rua que interagiram com o espaço e o público.  O ápice desta “vanguarda” ocorreu quando uma criança começou a brincar com carvão e desenhar no chão. A união por meio dos personagens dos artistas e a menina firmou um pouco mais a realidade contrastante entre o que estava ocorrendo ali no galpão do Liceu de Artes e Ofícios e as ruas. Foi realmente impressionante a ruptura da exposição.

 

 

 

Quanto às críticas: os convidados parabenizaram a arquitetura da esposição e o ambiente espaçoso que possibilitou um melhor fluxo e concentração; as  obras foram muito bem distribuídas e organizadas entre as alas, o que agradou bastante, tornando-as coesas entre si _ os mais exigentes denotaram uma quebra na expectativa em encontrar algo mais comprometido com a loucura, com o surreal, devido a essa mesma organização espacial tão elogiada. Um dos grandes diferenciais do evento, foi a acessibilidade a todos os tipos de público. Pessoas com deficiências, em especial cegos e cadeirantes foram alguns dos convidados que prestigiaram a abertura e puderam contemplar as obras atráves do tato e da audiodescrição de monitores especialmente preparados. Porém, para alguns desses visitantes, a falta de um piso podo-tátil, de descrições em braile e de obras que pussesem ser tocadas, diminuiu a autonomia de sentirem sozinhos a arte. Mesmo com poucos recursos, a equipe de produção e a monitoria foram bastante elogiadas pelo trabalho ousado e, sendo comparada com a última Paralela realizada em 2008, mostrou-se mais inovadora, confortável e organizada estética e espacialmente.

O sucesso da exposição ontem e a interatividade “público x obra” mostra que a arte está cada vez mais acessível, e este quadro favorável à cultura poderia ser aproveitado e complementado por órgãos públicos responsáveis, que trouxessem mais incentivos do Estado.

 Por Natália Garcêz e Rubens Takamine (alunos do Liceu de Artes e Ofícios)

Anúncios

Sobre paralela10

Em sua 5ª edição, a mostra reúne 82 artistas no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, entre 22 de setembro a 28 de novembro de 2010, sob a curadoria de Paulo Reis
Esse post foi publicado em Bastidores. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Abertura Paralela 2010 // A Contemplação do Mundo – Fotos

  1. Sofia Carvalhosa disse:

    Acho muito legal como estes garotos do Liceu estão comprometidos com o trabalho da monitoria. Esta experiência na Paralela 2010 abre caminhos para eles contemplarem vários mundos novos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s